Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
1 of 55

Projeto Qualidade de Vida: ArcelorMittal

2

Share

O Melhor do Marketing foi responsável por desenvolver um projeto totalmente inovador e inédito para a ArcelorMittal (IUC) relacionando a Neuromarketing, Coaching e Storytelling.

O projeto foi dividido em 3 fases/períodos. Após meses de estudos, diagnósticos e análises, apresentamos o relatório de conclusão juntamente com o plano de ação.

Related Books

Free with a 30 day trial from Scribd

See all

Projeto Qualidade de Vida: ArcelorMittal

  1. 1. Qualidade de Vida Relatório de conclusão - FASE 3
  2. 2. Qualidade de Vida INTRODUÇÃO O planejamento à seguir, apresenta um roteiro das atividades a serem executadas, baseado no material apresentado ao término da fase 2, onde foram apontados 8 ações macro a serem implantadas.
  3. 3. Qualidade de Vida Implementar os REPLICADORES Incentivar a cultura de INOVAÇÃO Criar EMPATIA entre os setores HUMANIZAR a transferência de informação Valorizar o facilitador de SEGURANÇA REVISAR a comunicação interna APROXIMAR contratados e empregados Inserir a cultura do STORYTELLING
  4. 4. Qualidade de Vida O QUE PRECISÁVAMOS RESOLVER? Redução do índice de acidentes de trabalho correlacionados ao comportamento humano (CCH) na IUC.
  5. 5. “ “ Qualidade de Vida LOUCURA LOUCURA équererresultados équererresultados DIFERENTES DIFERENTES fazendotudo exatamenteIGUAL!fazendotudo exatamenteIGUAL! “ “ Albert EinsteinAlbert Einstein
  6. 6. Qualidade de Vida Qualidade de Vida EDUCAÇÃO REALIZAÇÃO PROFISSIONAL SAÚDE E BEM-ESTAR RESPONSABILIDADE AMBIENTAL VALORES SOCIAIS REALIZAÇÃO PESSOAL VALORES CULTURAIS SEGURANÇA
  7. 7. Qualidade de Vida GAPS MAPEADOS NA FASE 2
  8. 8. Qualidade de Vida GAPS MAPEADOS NA FASE 2 REPLICADORES
  9. 9. Qualidade de Vida GAPs de ESTRATÉGIA REPLICADORES GAPS MAPEADOS NA FASE 2
  10. 10. Qualidade de Vida GAPs de ESTRATÉGIA GAPs da COMUNICAÇÃO REPLICADORES GAPS MAPEADOS NA FASE 2
  11. 11. Qualidade de Vida METODOLOGIA Todo o material apresentado, foi criado visando a real aplicabilidade do planejamento e, para isso, a seguinte metodologia será mostrada em cada uma das ações MACRO.
  12. 12. Qualidade de Vida ETAPAS LOCAL CRONOGRAMA RESPONSABILIDADEJUSTIFICATIVA O QUE DEVERÁ SER FEITO PORQUE SERÁ FEITO ONDE SERÁ FEITO QUANDO SERÁ FEITO POR QUEM SERÁ FEITO COMO SERÁ FEITO 1 2 3 4 5 6MÉTODO ( ( ( ( ( ( ( ( ( ( ( (
  13. 13. Qualidade de Vida 8MILHÕES DE HORAS TRABALHADAS SEM ACIDENTES CPT.
  14. 14. Qualidade de Vida IMPLEMENTAR REPLICADORES
  15. 15. Qualidade de Vida AÇÕES MACRO A SEREM IMPLEMENTADAS
  16. 16. Qualidade de Vida IMPLEMENTAR REPLICADORES Supervisores Por ser o centro da hierarquia, precisa ser um exemplo à ser seguido. Impecável. Precisar ter sempre a porta, ouvidos e coração abertos. Sempre. Seu perfil de liderança tem que estar claro para a base e ser valorizado, é claro.
  17. 17. Qualidade de Vida IMPLEMENTAR REPLICADORES Gerentes Supervisores Sua posição na hierarquia deve ser usada de maneira estratégica, utilizando gatilhos de empatia através do storytelling para a base, buscando a humanização da figura do gerente, de maneira que sua história seja conhecida.
  18. 18. Qualidade de Vida IMPLEMENTAR REPLICADORES Base + Especialistas + Técnicos Gerentes Supervisores A base precisa estar motivada. Na cabeça do empregado, precisamos implementar o ponto central, que é a QUALIDADE DE VIDA e o que ele precisa fazer para alcançá-la. Segurança será o ponto central, porém dentro de um CICLO SUSTENTÁVEL.
  19. 19. Qualidade de Vida IMPLEMENTAR REPLICADORES Facilitadores de Segurança Base + Especialistas + Técnicos Gerentes Supervisores Trabalhar na formação desse personagem, através das reuniões de iniciação e conclusão da jornada dele.
  20. 20. Qualidade de Vida AÇÕES PROPOSTAS
  21. 21. Programa de desenvolvimento de liderança e gestão humanizada ETAPAS - Acompanhamento constante, através de sessões de coaching individual e planejamento de gestão humanizada; QUEM - Supervisores e Gerentes; COMO - Profissional capacitado, alocado full-time dentro do time da EAGS, possibilitando um agendamento de sessões mensais, com esse público. Esse profissional pode ser um terceiro ou um efetivo, da equipe de psicologia/RH, por exemplo; Qualidade de Vida
  22. 22. Programa de treinamento Contadores de histórias ETAPAS - Workshop de formação e aprimoramento de apresentações e oratória, com o objetivo construir de discursos e apresentações com elementos de neuromarketing e storytelling e oficina de criação de apresentações de power point eficazes; QUEM - Gerentes, supervisores, EAGS e pessoal selecionado das contratadas; COMO - Empresa especializada no assunto; Qualidade de Vida #TOMENOTA Como sugestão, o programa pode ser expandido para as contratadas, dessa maneira criamos equilíbrio e aproximação entre os setores.
  23. 23. Qualidade de Vida INCENTIVAR A CULTURA DA INOVAÇÃO
  24. 24. Qualidade de Vida A criação, divulgação e incentivo de processo de inovação, focado na melhoria contínua dos processos, focado principalmente na segurança do trabalhador IUC, irá gerar um sentimento de pertencimento ainda maior nesse homem, onde o nosso objetivo é que seja também dono daquela ideia, utilizando estratégias de reforço positivo, à exemplo do sucesso da campanha "Ato Seguro - Um valor para todos".
  25. 25. Qualidade de Vida AÇÕES PROPOSTAS
  26. 26. Criação da equipe “Gestão de Ideias” ETAPAS - Implementar, gerir e incentivar o fluxo de inovação e ideias proposto na fase 2. A equipe EGMCI - Gestão de Melhoria Contínua Inovação -, precisa ser vista pelo efetivo IUC, como referência de melhoria e gestão de ideias; QUEM - Toda IUC deve ser atingida pela atuação desse time; COMO - Equipe multidisciplinar, composta por uma pessoa de cada setor da IUC, com formações, cargos e conhecimentos diversos, que será responsável por: Qualidade de Vida
  27. 27. Criação da equipe “Gestão de Ideias” Qualidade de Vida a) Criar campanhas de INCENTIVO à inovação de acordo com os padrões existentes dentro da ArcelorMittal; b) Cuidar dos processos para que as ideias aprovadas sejam realmente implementadas; c) Se fazer próximo dos empregados para que estímulos sejam gerados; d) Centralizar feedback e follow up. Exemplo: todos sabemos que as apresentações precisam melhorar, certo? Por que ainda ninguém buscou uma solução?
  28. 28. Qualidade de Vida Processo ideal de estímulo à inovação: S N IDEIA APRESENTAÇÃO AVALIAÇÃO FEEDBACK VIABILIDADE FEEDBACK TESTERECOMPENSA EXEMPLO
  29. 29. Qualidade de Vida CRIAR EMPATIA ENTRE OS SETORES
  30. 30. Qualidade de Vida Empatia, é sem dúvida, o combustível da humanização que o projeto propõe, de todos os nosso processos e a única palavra capaz de fazer com que os objetos e resultados sejam alcançados.
  31. 31. Qualidade de Vida AÇÕES PROPOSTAS
  32. 32. Programa "Vivenciar, reconhecer e valorizar" ETAPAS - Criação de uma escala de vivência compartilhada; QUEM - Supervisores (O supervisor receberá o *meme e o mesmo irá replicá-lo para a base); COMO - O supervisor passaria um dia por mês acompanhando e auxiliando um empregado de outro setor, buscando entender sua rotina, conhecer seus desafios, valorizando suas posições na empresa, em busca de uma melhoria da visão sistêmica, trabalho em equipe e empatia entre setores. Qualidade de Vida
  33. 33. Qualidade de Vida VALORIZAR O FACILITADOR DE SEGURANÇA
  34. 34. Qualidade de Vida Após diversas análises, acompanhamento de reuniões, observação da atuação dos facilitadores nas grandes paradas do LTQ e SINTER e principalmente, o depoimento dos próprios empregados, fomos capazes de entender a real importância desse personagem na perpetuação dos resultados. Precisamos criar aqui, uma verdadeira referência de segurança na área. Uma figura que seja vista, respeitada e desejada por todos. A ação proposta, é sem dúvidas, uma grande revisão do trabalho que é realizado hoje. Porém, essencial na construção de uma figura de peso na percepção de segurança do empregado, logo, em sua qualidade de vida, dentro e fora do trabalho.
  35. 35. Qualidade de Vida AÇÕES PROPOSTAS
  36. 36. Novo programa de formação de facilitadores Ÿ Ampliação do tempo de atuação de uma mesma turma, para 3 meses; Ÿ O primeiro passo é o processo de seleção pelos supervisores. Todos os supervisores precisam ter ciência do peso dessa escolha e como ela irá impactar no seu time. Todos devem ser facilitadores pelo menos uma vez, mas é preciso acompanhar de perto, aqueles que realmente se destacarem; Ÿ Após a escolha teremos uma "Passagem do bastão", onde a equipe que está saindo, terá um momento para contar sua experiência e as gerências estarem presentes, reforçando positivamente o trabalho realizado. Qualidade de Vida
  37. 37. Novo programa de formação de facilitadores Qualidade de Vida Ÿ Cada novo membro da equipe anterior, deverá chamar um nome da nova equipe e "passar o bastão". Esse deve ser um ato onde o peso desse papel precisa ser ressaltado e a responsabilidade que o empregado está assumindo, de "cuidar do próximo". Ÿ A fala do Valério é muito boa. Acompanhamos e de perto e ele consegue realmente trazer a equipe para o lado dele. Essa parte se mantém. Ele continuará responsável pela passagem das instruções, divulgação e acompanhamento do time. Ÿ Apresentação do novo "time de heróis" durante o momento das RDS.
  38. 38. Novo programa de formação de facilitadores Qualidade de Vida Ÿ Após 45 dias é necessário que o Valério faça uma reunião intermediária de acompanhamento. Ÿ Criação de patentes de facilitadores, para aqueles que estão atuando pela segunda ou terceira vez (junior, master e pro). Ÿ Revisar a estratégia de comunicação, criando uma rotina de informativos, que vão desde o comunicado do novo time, à lembretes semanais e casos interessantes. Ÿ Utilizar na comunicação, a frase "Uma vez facilitador de segurança, seguro sempre".
  39. 39. Ação de lançamento do "Novo Facilitador de Segurança" Qualidade de Vida ETAPAS - *Ação de "guerrilha", durante o momento das RDS; QUEM - Todos, durante as RDS, na região dos boxes; COMO - Realizado por uma empresa de marketing promocional. Deve-se criar uma encenação impactante, não-esperada e que seja concluída com a mensagem sobre o novo facilitador, de maneira à valorizar a função; *Ação de guerrilha é uma estratégia composta de diversas ferramentas que permitem ter os seus dispositivos reconfigurados no tempo de espaço, de acordo com a realidade, os recursos e as intenções do anunciante, para atingirem os corações e mentes de seus públicos-alvo e trazerem ATITUDES para suas marcas.
  40. 40. Campanha “Safe-Stick” Qualidade de Vida ETAPAS - Assim como nos adesivos dos capacetes da NCAA, criar adesivos que possam ser colados nos capacetes dos empregados, à cada ato seguro que o mesmo realizar. Abordagens, direitos de recusa, etc; QUEM - Todo efetivo IUC; COMO - A colagem será feita pela EAGS, que deverá definir qual o limite de adesivos por capacete. Quando esse capacete, não tiver mais espaço, deverá ser feita a troca e o anterior, o empregado é premiado na RMS e o antigo é colocado em local de destaque, junto com a foto do empregado.
  41. 41. Qualidade de Vida REVISÃO DA COMUNICAÇÃO INTERNA
  42. 42. Qualidade de Vida Após o mapeamento de gaps na comunicação realizada internamente na IUC, durante a fase 2, identificamos que é necessária orientação à EAGS em como melhor utilizar os veículos que a IUC já possui, aprimorando principalmente a LINGUAGEM utilizada, introduzindo o neuromarketing e storytelling. A ação englobará inclusive os disparos de e- mails realizados pelos gerentes, supervisores e técnicos.
  43. 43. Qualidade de Vida AÇÕES PROPOSTAS
  44. 44. Revisão das estratégias de comunicação interna Qualidade de Vida ETAPAS - Consultoria com foco em neuromarketing e storytelling, para capacitação no desenvolvimento de campanhas visuais com esse apelo; QUEM - EAGS; COMO - 24 horas de consultoria presencial, distribuídas em 2 visitas semanais, de 2 horas cada, onde o time treinado passará por treinamento aplicado nos temas apontados e assessoria na criação de campanhas.
  45. 45. Qualidade de Vida APROXIMAR CONTRATADOS E EMPREGADOS
  46. 46. Qualidade de Vida Para que possamos trilhar um caminho onde contratados e empregados tenham uma sintonia ainda melhor e contratados sintam-se cada vez mais inseridos no processo de humanização, busca da qualidade de vida e comportamento seguro, inserimos esse público de maneira estratégica nas ações adequadas e de acordo com a realidade de cada um.
  47. 47. Qualidade de Vida INSERIR A CULTURA DO STORYTELLING
  48. 48. Qualidade de Vida Porque entregar apenas uma história, quando temos mais 500 a serem ouvidas? Quantas delas nós conhecemos profundamente? Ao conhecer essas histórias, nós poderemos cuidar melhor uns dos outros.
  49. 49. Qualidade de Vida A campanha “Conhecer para cuidar melhor” será lançada em um evento, onde os gerentes deverão contar suas histórias, mostrando como estão próximos da base. O exercício de empatia será o grande foco dessa história, além da humanização durante a narrativa. Após isso, o conceito será levado para dentro das RDS pelos supervisores, que após contarem suas histórias, deverão todos os dias, pedir à um empregado que faça o mesmo. Quantas histórias teremos após um ano? O objetivo da campanha é que todos vivam as histórias uns dos outros, para que possam cuidar melhor da segurança do próximo. Inclusive, dessa maneira estaremos alinhados com o novo modelo mental, desejado pela diretoria: Integração, respeito, confiança, transparência, motivação, inovação.
  50. 50. Qualidade de Vida Para que isso ocorra com eficácia, a EAGS paralelamente, deverá alimentar os veículos de comunicação da IUC (minidoors, TV's, placas, banners, correio eletrônico e veículos da IUC), com as melhores partes dessas histórias, que serão captadas pelos supervisores. Exemplo: Trazer a foto do empregado, nome e sobrenome, área e frase. André, pai da Maria Luiza. O nascimento da Maria Luiza transformou a minha vida.
  51. 51. Qualidade de Vida HUMANIZAÇÃO DA TRANSFERÊNCIA DA INFORMAÇÃO
  52. 52. Qualidade de Vida Palestra - A humanização do discurso e o poder das histórias. As histórias fazem parte de praticamente todos os aspectos das nossas vidas. Elas estão em toda parte. Informam, distraem, ensinam, nos comovem profundamente, transformando e nos aproximando dos outros. Elas nos propõem um conhecimento novo. Seja qual for o contexto, o processo de contação de histórias abre espaço para o pensamento mágico. Com elas, nos ENVOLVEMOS, EMOCIONAMOS e APRENDEMOS. Imagens, cores, símbolos e sons aproximam os interlocutores, estimulam o aprendizado e favorecem o desenvolvimento de um atividade/objetivo.
  53. 53. ETAPAS Ÿ Preenchimento do briefing para análise da empresa responsável pela execução; Ÿ Contratação do profissional/empresa. QUEM - Gerentes, supervisores efetivos e de contratadas, técnicos e especialistas; LOCAL - IUC COMO - O profissional responsável pelo desenvolvimento da palestra deverá receber o briefing, coletar dados e fazer pesquisas junto ao público que receberá a palestra e ao final desenvolver dinâmica que envolva todos dentro da história; JUSTIFICATIVA - O objetivo da palestra é provocar uma sensibilização inicial nos empregados para que as ações propostas neste plano possam ter sua efetividade ampliada. Qualidade de Vida

×